Nova direção dos bombeiros do Cadaval tomou posse

  • Imprimir


1036 1067 lead tomada posse bvcRealizou-se, recentemente, a tomada de posse da nova direção da Associação Humanitária dos Bombeiros
Voluntários do Cadaval, encabeçada por Ricardo Coelho, que sucede a Pedro Gaspar Rodrigues na condução dos destinos de uma instituição com 92 anos de existência.

 

Ricardo João Mendes de Almeida Coelho é o novo presidente da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários do Cadaval (AHBVC), sucedendo ao médico Pedro Gaspar Rodrigues, que passa agora a assumir a presidência da assembleia-geral, mantendo-se Acácio Filipe Azevedo Nunes como presidente do conselho fiscal.

A tomada de posse, realizada a 4 de janeiro, incluiu a intervenção de despedida do presidente da assembleia-geral cessante, Valentim Carvalho Matias, que foi também comandante dos bombeiros cadavalenses durante duas décadas, interrompendo, assim, a ligação que manteve com os Bombeiros Voluntários do Cadaval durante mais de 50 anos.

No seu discurso de tomada de posse, Ricardo Coelho enalteceu o trabalho e o rigor da gestão dos órgãos sociais cessantes, agradecendo a disponibilidade dos «colegas de direção, mesa da assembleia e conselho fiscal que aceitaram o desafio de serem voluntários sem farda desta casa».

Evidenciada, pelo novo presidente da AHBVC, foi também a disponibilidade para colaborar e estreitar as relações de parceria com os demais agentes de proteção civil do concelho, que se fizeram representar na tomada de posse.

O recém-empossado dirigente referiu ainda garantir «total apoio» ao comandante dos bombeiros, Luís Gaspar, «para levar por diante a nobre e honrosa missão que é comandar o corpo de bombeiros da AHBVC», sublinhando que não serão poupados esforços «para dar as melhores condições aos nossos bombeiros voluntários para cumprimento da sua missão». Em contrapartida, frisou que a direção estará vigilante e será exigente «no rigor e na disciplina que lhes será pedida».

A terminar, Ricardo Coelho afirmou estar consciente das dificuldades e do trabalho que a direção que encabeça terá pela frente, mas mostrou-se confiante para lidar com as contrariedades, esperando conquistar a confiança de todos, que, acredita, «cedo se aperceberão que estamos aqui com verdadeiro espírito de missão, de boa-fé e determinados a dar o nosso melhor pela associação humanitária e pelo seu corpo de bombeiros.»